V. Guimarães revela que vai disponibilizar imagens de videovigilância e critica Liga

V. Guimarães revela que vai disponibilizar imagens de videovigilância e critica Liga

Os vitorianos emitiram um comunicado nesta segunda-feira.

O Vitória de Guimarães emitiu um comunicado nesta segunda-feira onde revela "total disponibilidade para colaborar ativamente na identificação dos verdadeiros responsáveis pela ocorrência de qualquer manifestação de racismo ou discriminação no Estádio D. Afonso Henriques".

Os vitorianos afirmam que iniciaram as "diligências de averiguação ao seu dispor", começando pela "divulgação das imagens" de videovigilância, e manifestam a intenção de se constituírem "assistente no âmbito dos processos desencadeados pelas autoridades".

Na mesma nota, os nortenhos falam numa "gravosa desconsideração institucional perpetrada pela Liga".

Recorde-se que Moussa Marega, avançado do FC Porto, foi alvo de insultos racistas no domingo no jogo da 21ª jornada da I Liga no reduto do V. Guimarães.

Leia o comunicado na íntegra:

"Em face das posições publicamente assumidas pela Polícia de Segurança Pública e pela Procuradoria-Geral da República, o VITÓRIA SPORT CLUBE reitera a sua total disponibilidade para colaborar ativamente na identificação dos verdadeiros responsáveis pela ocorrência de qualquer manifestação de racismo ou discriminação no Estádio D. Afonso Henriques, para o que apela ainda à cooperação dos seus adeptos e associados.

Igualmente, o VITÓRIA SC iniciou as diligências de averiguação ao seu dispor, designadamente através da disponibilização das imagens do sistema CCTV do recinto desportivo - que, pasme-se, não se avariou e se mantém em bom estado de funcionamento -, manifestando desde já a sua intenção de se constituir assistente no âmbito dos processos desencadeados pelas autoridades judiciais competentes.

O racismo é um ato de traição à fundação do clube, perante o qual o VITÓRIA SC e os seus adeptos serão, como sempre foram, verdadeiramente implacáveis. No entanto, é imperioso assinalar que este é um problema de dimensão nacional, que se repete e vem repetindo ao longo de vários anos e em diversos estádios, ao qual as entidades com responsabilidade governativa não se podem alhear com declarações simplistas de repúdio e censura seletivas.

Com efeito, não é admissível pretender que o VITÓRIA SC vista a pele de lobo defronte um problema social que já conheceu condenações efetivas no plano desportivo nacional e internacional, contando embora com o silêncio e a parcimónia de todos os órgãos e entidades que agora prontamente se pronunciaram. São conhecidos os casos de racismo, de glorificação da morte, de homicídio, de violência e de discriminação no futebol português, todos sem a indignação correspondente.

O VITÓRIA SC não admite que o bom nome e imagem do clube e dos seus adeptos sejam oportunamente colocados em causa por conta de um ato criminoso que não representa, antes afronta, a sua forma de estar, sentir e atuar.

Por ser assim, é ao lado de todos - e tem de ser com todos - que o VITÓRIA SC se posiciona na promoção de um desporto igual e universal, sem lugar nem tempo para a violência, racismo, xenofobia, intolerância ou discriminação.

Finalmente, cumpre registar a gravosa desconsideração institucional perpetrada pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional contra o VITÓRIA SC, ignorando de forma inadmissível a sua posição de censura e condenação sobre os acontecimentos em causa aquando da divulgação, através das redes sociais, de todas as outras levadas a cabo pelos restantes clubes.

O racismo é condenável e o VITÓRIA SC também o condena.

A Administração."