Sá Pinto fala em "postura arrogante" do chefe de cabine e age judicialmente

Sá Pinto fala em "postura arrogante" do chefe de cabine e age judicialmente

Treinador do Braga emitiu comunicado após a expulsão de um avião no aeroporto de Faro.

Ricardo Sá Pinto, juntamente com o Braga, emitiu esta sexta-feira um comunicado na sequência da expulsão de um avião no aeroporto de Faro, após desentendimento com um assistente de bordo.

O treinador do clube arsenalista assegura que foi alvo de "uma postura arrogante e mal-educada", naquilo que considera ter-se tratado de um "comportamento condenável" do chefe de cabine.

"Desde a sua entrada no avião que o chefe de cabine teve para consigo uma postura arrogante e mal-educada. Não obstante este comportamento condenável, e tendo-lhe sido solicitado por este chefe de cabine que desligasse o telemóvel e os auriculares, acatou de imediato as instruções e desligou ambos os aparelhos. Aquando da reserva do bilhete procedeu à marcação do seu lugar na primeira fila do avião e pago o respetivo valor por lugar especial. Tal reserva de lugar acontece pela impossibilidade de manter o joelho dobrado durante o tempo de voo decorrente das graves lesões sofridas nos joelhos enquanto jogador de futebol", pode ler-se no comunicado de Sá Pinto, que garante que vai agir judicialmente.

"É absolutamente condenável a postura do funcionário desta companhia de aviação low cost e Ricardo Sá Pinto irá proceder judicialmente contra esta empresa e contra o aludido chefe de cabine pela atuação tida contra a sua pessoa", remata o técnico.

Leia o comunicado na íntegra:

"Ricardo Sá Pinto vem publicamente informar do incidente ocorrido hoje [sexta-feira] ao princípio da noite no avião da Ryanair que fazia a ligação entre Faro e Porto.

Desde a sua entrada no avião que o chefe de cabine teve para consigo uma postura arrogante e mal-educada. Não obstante este comportamento condenável, e tendo-lhe sido solicitado por este chefe de cabine que desligasse o telemóvel e os auriculares, acatou de imediato as instruções e desligou ambos os aparelhos.

Aquando da reserva do bilhete procedeu à marcação do seu lugar na primeira fila do avião e pago o respectivo valor por lugar especial.
Tal reserva de lugar acontece pela impossibilidade de manter o joelho dobrado durante o tempo de voo decorrente das graves lesões sofridas nos joelhos enquanto jogador de futebol.

Tendo a perna esticada por força da sua limitação física foi-lhe ordenado pela assistente de bordo que dobrasse as suas pernas tendo sido por ele explicado a impossibilidade de o fazer, razão pela qual adquiriu aquele lugar.

Perante esta posição devidamente explicada, a tripulação recusou-se a iniciar o voo, o que obrigou ao desembarque do passageiro Ricardo Sá Pinto.

É absolutamente condenável a postura do funcionário desta companhia de aviação low Cost e Ricardo Sá Pinto irá proceder judicialmente contra esta empresa e contra o aludido chefe de cabine pela actuação tida contra a sua pessoa."