"O ideal seria fazer agora 14 golos? Com certeza. O objetivo é superar-me"

"O ideal seria fazer agora 14 golos? Com certeza. O objetivo é superar-me"
André Bastos

Matheus Souza fez 12 golos pelo Praiense e 13 com as cores do Amora. Agora, quer superar esses registos ao serviço do Lourosa.

O Lourosa foi o grande vencedor da sexta jornada da zona norte da Liga 3. A equipa do concelho de Santa Maria da Feira venceu o Fafe (3-1), beneficiou do empate entre a Oliveirense e o S. João de Ver e da derrota do Felgueiras para ascender ao segundo lugar e ganhar pontos a três rivais diretos na luta pela subida.

Matheus Souza esteve em evidência ao marcar o golo que praticamente confirmou o triunfo. "Foi muito importante a vitória diante de um grande adversário. Conseguimos impor-nos, usar a força da nossa casa e estou feliz por contribuir. Para os avançados é sempre importante balançar as redes", destacou o brasileiro de 28 anos, que está a cumprir a terceira época em Portugal. Nas duas anteriores, pelo Praiense e pelo Amora, marcou 12 e 13 golos, respetivamente.

"O ideal seria fazer agora 14? Com certeza. O objetivo sempre foi superar-me e, com muito trabalho, as coisas vão acontecendo. Essa ambição serve de combustível", vincou Matheus Souza, que se definiu como "avançado agressivo que gosta de estar sempre a finalizar e a tentar levar perigo aos centrais, através das movimentações perto da área", sendo o ponto forte "a explosão no arranque".

Sobre a ida para o Lourosa e a adaptação ao futebol português, o brasileiro, que joga desde os nove anos, está encantado com as condições que tem. "Foi incrível! Senti-me em casa desde a primeira hora. Gosto do estilo de jogo português, sempre dinâmico, a procurar a baliza adversária. Isso é bom para um avançado que gosta de incomodar durante os 90 minutos", sublinhou. Abraçar o projeto do Lourosa "foi fácil, pois tem uma estrutura fantástica, com a ambição de subida, que é o que todo o jogador quer", realçou Matheus, que em seis jogos só foi titular em metade: "Temos um grupo recheado de grandes jogadores. Essas dores de cabeça deixo para o míster."