Treinador do Lanús e o regresso de Marchesín: "Depende dele e do FC Porto"

Treinador do Lanús e o regresso de Marchesín: "Depende dele e do FC Porto"
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Jorge Almirón admitiu que o guarda-redes não estava contemplado nos planos e que não há impossíveis. Contudo, vê a hipótese como "distante"

O sonho de ver Marchesín regressar ao clube comanda a vida dos adeptos do Lanús por estes dias e tanto o presidente como o treinador têm feito os possíveis para não acabar com ele de forma perentória. Depois de Luis María Chebel ter abordado o tema, agora foi Jorge Almirón a tocar nele, começando por esclarecer que o guarda-redes do FC Porto "não tinha sido contemplado em nenhum momento", por estar num outro patamar.

"Está a jogar na Europa e sei que no passado esteve num grande nível. Então, imagina-se que esteja longe do regresso. Foi mais pelas redes sociais que se falou. Não tínhamos pensado nele, porque o víamos distante. Mas as pessoas entusiasmam-se. Está num clube de nível e num grande momento", começou por referir o técnico, embora não lhe tenha fechado declaradamente a porta.

"Quem não queria ter um guarda-redes como ele? Mas daí à realidade há muita diferença. Há muitas coisas que podem acontecer. Não diria que é impossível, mas dependeria mais dele e do clube [FC Porto] que tem o seu passe", vincou Almirón, pelo que, nesta fase, classifica a possibilidade de Marche regressar ao Lanús como "distante".

O diário "Olé" descreve as eventuais negociações por Marchesín como "complexas", pelo facto de o FC Porto não estar interessado em emprestá-lo para a Argentina. Ainda segundo a mesma fonte, o Lanús contará com o desejo do guardião portista como trunfo, mas os dragões só estariam disponíveis para o emprestar durante seis meses e isso representa um entrave para o emblema "granate", porque o perderia a meio do campeonato, da Copa Sul-Americana e da Taça da Argentina.