FC Porto com resultado líquido positivo de 33 milhões de euros em 2020/21

FC Porto com resultado líquido positivo de 33 milhões de euros em 2020/21
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

O resultado líquido consolidado apresentado pela SAD do FC Porto, em 2020/2021, foi positivo em 33,405M€, o melhor resultado obtido pela sociedade desportiva.

A SAD do FC Porto fechou a época 2020/21 com um resultado líquido positivo de 33,405 milhões de euros, tal como O JOGO antecipou, versus os 115.940 negativos do exercício anterior.

Embora os adeptos tenham estado afastados dos estádios, o que provocou uma inexistência de receitas de bilheteira e Corporate Hospitality, os proveitos operacionais, excluindo com passes de jogadores, aumentaram significativamente, atingindo 153,613M€, fundamentalmente devido à participação da Champions.

Os resultados com transações de passes de jogadores tiveram um contributo bastante positivo, na ordem dos 74,792M€.

Fernando Gomes, administrador da SAD dos dragões, reagiu às contas, mostrando satisfação. "Apesar das circunstâncias [pandemia], conseguimos resultados muito bons. Em termos absolutos, foi mesmo o melhor resultado que o FC Porto conseguiu até hoje. O resultado positivo de 33,405 é excelente, tanto melhor que isto aconteceu numa época em que as receitas foram menores do que o normal", afirmou.

O ativo atinge os 407,817 milhões - cresceu 107,177 em relação a junho de 2020.

Já o passivo cresceu 74,289M€. Apesar do crescimento global dos empréstimos, 59,725 milhões de euros da dívida são relativos à antecipação (factoring) de contas a receber de vendas de passes de jogadores.

Os custos com pessoal passaram dos 82,910 milhões de euros, em 2019/20, para os 92,316, em 2020/21.

"Os custos crescem, devido ao aumento dos custos com o pessoal. Há um agravamento com os custos do plantel e com a equipa técnica na ordem dos 10 M€, porque foi na época de 2020/21 que pagámos os prémios de termos sido campeões em 2019/20. Todos os prémios de performance europeia e de termos sido campeões acabaram por cair em 2020/21, daí os custos tenham tido um incremento na ordem dos 10M€", analisou Fernando Gomes.

Fernando Gomes falou também do fair-play financeiro: "O FC Porto, ao fim destes quatro anos de Fair Play Financeiro, criou condições para o sair. Cumpriu todas regras que a UEFA determinou e, por isso, pode hoje dizer que cumpriu com tudo aquilo que tinha de ser cumprido. É uma situação objetivo, não há interpretações dúbias. Agora, estas contas vão ser enviadas para UEFA como prova final do cumprimento destas obrigações e esperamos, muito em breve, no mês de novembro, a UEFA faça uma declaração pública a confirmá-lo", vincou o administrador da SAD.