Paulo Fonseca olha para o Benfica a pensar na sucessão de Dzeko

Paulo Fonseca olha para o Benfica a pensar na sucessão de Dzeko

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Responsáveis da Roma querem rejuvenescer o ataque na próxima temporada.

Seferovic pode ser confrontado com a possibilidade de voltar a jogar em Itália, dado que o nome do avançado do Benfica está a ser avaliado pelos responsáveis da Roma, emblema treinado pelo português Paulo Fonseca. A informação circulou na quinta-feira em alguns meios de comunicação social locais e, segundo O JOGO apurou, é real o interesse no suíço, embora ainda não tenham ocorrido contactos entre as partes.

O ataque da formação romana está entregue a Dzeko e Kalinic, com o primeiro a mostrar ainda veia goleadora (soma seis golos em 13 jogos) e o segundo ainda a zeros (em cinco partidas). Porém, o bósnio completa 34 anos em março e, apesar de ter renovado até 2022, deverá ser considerado transferível, pois a intenção dos dirigentes da Roma passa pela renovação da linha da frente, na qual também não entra o croata, que será devolvido ao Atlético de Madrid.

No perfil desenhado pelos dirigentes giallorossi está a contratação de um avançado com menor idade, mas não em início de carreira, sendo o conhecimento do futebol italiano outro dos requisitos considerados eliminatórios. Seferovic encaixa nestas condições, não só porque está com 27 anos, mas ainda por a sua carreira já se ter cruzado com o Calcio, onde alinhou por Fiorentina, Lecce e Novara, em ambos por empréstimo da primeira formação.

Em terceiro lugar, que vale apuramento para a Liga dos Campeões, a Roma não tem nos planos mexer no ataque no mercado de janeiro, pelo que qualquer avanço mais concreto por Seferovic apenas acontecerá na perspetiva de um negócio a efetivar para a próxima temporada, apesar de estar previsto que após o arranque do novo ano possam ser encetados os primeiros contactos. O dianteiro suíço tem uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros e o Benfica não o libertará por menos de 30 milhões.