Luís Filipe Vieira vai ser acusado na Operação Lex, avança a TVI

Luís Filipe Vieira vai ser acusado na Operação Lex, avança a TVI

Notícia está a ser avançada pela TVI. Luís Filipe Vieira deverá ser acusado de recebimento indevido de vantagem.

Arguido na designada "Operação Lex", por suspeita de tráfico de influências, Luís Filipe Vieira deverá ser acusado pelo crime de recebimento indevido de vantagem, segundo noticiou esta quinta-feria a TVI.

Terminada a investigação, que tem como figura central o juiz Rui Rangel, a estação televisiva revelou que a dedução formal da acusação acontecerá a breve prazo, entendendo a procuradora Maria José Morgado que o presidente do Benfica aproveitou-se da sua condição para oferecer contrapartidas a Rangel, em troca de favores judiciais num processo relativo à sua vida pessoal.

Tratava-se de uma dívida fiscal de 1,6 milhões de euros, que em 2018, através de uma nova lei levou o Fisco a desistir desta ação, bem como de outros contribuintes.

Num alegado esquema que envolveu o vice Fernando Tavares, também ele arguido, Vieira terá oferecido um cargo no clube ou no futuro colégio dos encarnados a Rui Rangel dado o processo acima referido. A TVI relata que o juiz, que já se candidatou à presidência das águias contra Vieira, moveu mesmo influências para ajudar o presidente do Benfica, junto de um terceiro magistrado que seria próximo do juiz decisor.

Rangel, cuja pena pena disciplinar de demissão de funções foi confirmada pelo Supremo Tribunal de Justiça recentemente, será ouvido no decorrer da próxima semana por Maria José Morgado. Quanto Luís Filipe Vieira, poderá requerer a abertura de um processo de instrução, dá conta a CM TV, sabendo-se que o crime de recebimento indevido de vantagem é punível com pena de prisão até cinco anos.

Face ao teor da notícia, a equipa de advogados do presidente do Benfica fez saber que não foi notificada e referiu que é "uma acusação profundamente injusta, pois assenta em factos que não são verdadeiros e em intenções que o sr. Luís Filipe Vieira nunca teve. E se os factos não são verdadeiros, as intenções são fruto de imaginação", lê-se em comunicado.

A suposta oferta a Rui Rangel é igualmente negada. "O sr. Luís Filipe Vieira não subornou nem corrompeu ninguém, e muito menos determinou que se atribuíssem vantagens indevidas a quem quer que fosse."