Rui Costa com futuro resolvido: vai ao Canadá com contrato na mão

Rui Costa com futuro resolvido: vai ao Canadá com contrato na mão
Frederico Bártolo

Tópicos

Renovação com a UAE Emirates será comunicada nesta semana. Ficou confirmado que o poveiro estará no Québec e em Montréal.

Ainda não é oficial, mas está para breve. De acordo com informações recolhidas por O JOGO, Rui Costa continuará ligado à UAE Emirates em 2020. O ciclista português deverá rubricar um vínculo de uma época, tal como aconteceu de 2018 para 2019, e assim manter-se no projeto pelo sétimo ano consecutivo, pois o conjunto dos Emirados é um sucessor da italiana Lampre.

Joxean Matxin, que foi diretor desportivo de Rui Costa na Lampre, em 2013 e 2014, e um dos responsáveis por, em 2017, o poveiro se ter mantido na estrutura, expressou em agosto a vontade de continuar com o corredor luso.

Numa altura em que a equipa dos Emirados procede a uma remodelação no plantel, Rui Costa será um dos pilares, pela sua experiência e cumprirá o 11.º ano seguido no World Tour. Da UAE sairá Dan Martin (Israel Academy) e vão entrar Joe Dombrowski (Education First), ontem descrito como um elemento para "ajudar nas subidas finais" e Davide Formolo (Bora), segundo na última Liège-Bastogne-Liège e aposta para o top 10 em Grandes Voltas.

Tadej Pogacar será a principal figura para as Grandes Voltas, mas o futuro pertence a mais jovens: Andrés Ardila, vencedor do Giro sub-23, Mikkel Bjerg (Axeon), ambos de 20 anos, e Brandon Mcnulty (Rally Cycling), de 21, são bons golpes de mercado. Rui Costa, aos 32 anos, será uma ponte para esta nova geração.

Ontem, ficou confirmado que correrá no Québec, na sexta-feira, e em Montréal, no domingo, esta uma corrida que venceu em 2011. Partilhará a liderança com Diego Ulissi e terá Rui Oliveira a ajudar. Em 2019, o poveiro tem andado melhor em provas de uma semana: foi décimo no Tirreno-Adriático, quarto na UAE Tour e segundo na Romandia.