Relato forte de um português na China: "Dói-me ver o que se passa na Europa. Tivemos três meses..."

Relato forte de um português na China: "Dói-me ver o que se passa na Europa. Tivemos três meses..."

Luís Miguel, treinador adjunto do Shangai SIPG, criticou as práticas levadas a cabo na Europa, especificamente em Portugal, e aconselhou os portugueses a mudarem alguns comportamentos.

Luís Miguel Silva, treinador adjunto de Vítor Pereira no Shanghai SIPG, relatou um pouco da situação que tem vivido na China, mas também em Portugal, devido à pandemia provocada pela Covid-19. O técnico português afirma que a Europa não está a levar este vírus com a devida seriedade, tal como fizeram os chineses - os únicos no mundo "que estão a conseguir travar a epidemia".

O treinador pede ainda para os portugueses se fecharem em casa, deixarem de fazer corridas e passeios e tentarem ao máximo evitar o contacto com outras pessoas.

"A China está a conseguir controlar o vírus, que é mortífero, porque tem muito respeito e muita disciplina. Tiveram muita paciência, tiveram de se fechar em casa, a economia parou... mas ficaram em casa. Dói-me ver o que se passa na Europa. Tivemos três meses para aprender com a China e desvalorizámos o inimigo. Vê-se o que se passa na Itália, Espanha, Irão... Espero que não aconteça em Portugal. Fiquei aterrorizado quando me desloquei para a China: no aeroporto de Lisboa ninguém estava protegido, não houve controlo de temperatura, zero. Os que trabalham nos aeroportos estão em contacto com muita gente... Aqui estão sempre a medir a temperatura e as pessoas usam equipamento de proteção", começou por dizer antes de deixar algumas críticas, mas também aconselhar os portugueses.

"Na China está tudo de quarentena e se alguém infringir as regras é severamente punido. Há disciplina. Aconselho: parem, fiquem em casa, com a família. Só uma pessoa deve ir às compras e com proteção. Quando voltarem, desinfetem os sapatos, metam a roupa para lavar e tomem banho. Parem as caminhadas, as corridas fora de casa... vão andar em elevadores, em condomínios, vão contactar com pessoas... Na China não vi ninguém a correr. Eles são os únicos a conseguir travar a epidemia. É preciso muita disciplina, paciência e respeito por este vírus", explicou Luís Miguel.

NÃO SAIA DE CASA, LEIA O JOGO NO E-PAPER. CUIDE DE SI, CUIDE DE TODOS