Augusto Inácio pede ajuda à embaixada portuguesa e sai do Zamalek

Augusto Inácio pede ajuda à embaixada portuguesa e sai do Zamalek

Clube do Cairo não queria deixar o treinador sair

O treinador português Augusto Inácio esteve retido no Cairo pelo Zamalek e pediu a intervenção da embaixada portuguesa no Egito para resolver o diferendo com a direção do clube egípcio, que não o deixava sair das instalações.

Um membro da embaixada portuguesa acabou por reunir com Inácio e como presidente do Zamalek, ajudando a que fosse alcançado um acordo. O treinador português está de saída do clube do Egito, tendo direito a uma indemnização.

O encontro entre Inácio e o líder do Zamalek teve lugar nas instalações do clube em Alexandria e esteve presente um representante da embaixada portuguesa no Egito, a pedido do técnico português. Isto porque, o treinador chegou a estar retido por funcionários do Zamalek enquanto aguardava pelo presidente Morata Mansour.

Recorde-se que Augusto Inácio criticou o presidente do Zamalek há poucos dias, em conferência de imprensa, acusando-o de mentir em relação a Shikabala (ex-Sporting) e Pedro Moreira. "Quer mandar o Shikabala embora e não tem coragem por causa dos adeptos. Por isso, diz que sou eu. É mentira! Outra coisa, ele diz que eu dei um murro e um pontapé ao Pedro. É mentira! Não gostei do comportamento dele, mandei-o embora do autocarro, mas todos são testemunhas de que nunca toquei no Pedro. Homem que é homem fala as coisas olhos nos olhos e resolve as coisas olhos nos olhos", rematou.