"Sem os jogos à porta fechada, poucos clubes vão sobreviver"

"Sem os jogos à porta fechada, poucos clubes vão sobreviver"
Redação

Os clubes têm reunião agendada para o final de março para avaliar que destino dar aos campeonatos profissionais, mediante a evolução da pandemia na Alemanha.

Os principais campeonatos na Europa estão suspensos e já poucos sequer têm jogos à porta fechada. Ainda assim, jogar sem adeptos nas bancadas é uma solução que o presidente da liga alemã olha como única capaz de salvar as finanças dos 36 clubes que competem nas Bundesliga 1 e 2.

"Sem os jogos à porta fechada, poucos clubes serão capazes de sobreviver", começou por dizer Christian Seifert, presidente da liga de clubes, a DFL".

"Acho mesmoo que no fim não teremos mais que 18 clubes profissionais [atualmente são 36]. Se não se realizarem os jogos, vamos perder as receitas de televisão, patrocínios... Não vai correr bem", acrescentou, não afastando o cenário de despedimentos em muitos clubes.

Os clubes têm reunião agendada para o final de março para avaliar que destino dar aos campeonatos profissionais, mediante a evolução da pandemia na Alemanha.