Porto e Guimarães ganham força para receber oitavos de final da Champions

Porto e Guimarães ganham força para receber oitavos de final da Champions

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

A UEFA está a ponderar terminar os oitavos da Champions em Portugal. Situação sanitária na Alemanha e em Espanha pode trazer os jogos para os estádios do Dragão e D.Afonso Henriques

Está a ganhar força a possibilidade de a UEFA agendar para Portugal, provavelmente para o Porto e Guimarães, os jogos que falta disputar da segunda mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões, apurou o JOGO junto de fonte ligada ao processo.

Com as partidas dos quartos de final, meias-fiinais e final apontadas para Lisboa (Luz e Alvalade), a possibilidade de usar o Dragão e o D.Afonso Henriques esteve, nos últimos dias, nas ponderações do organismo que tutela o futebol europeu, tendo em conta o agravamento da pandemia na Alemanha, sobretudo, e em Espanha, países com equipas a discutir o apuramento para a final a oito. Faltam disputar os seguintes jogos dos oitavos: Bayern Munique-Chelsea, Barcelona-Nápoles, Juventus-Lyon e Manchester City-Real Madrid.

Entretanto, a ministra da Saúde, Marta Temido, garantiu ontem não haver motivo para alterar a realização da fase final da Liga dos Campeões em Lisboa devido aos números que afetam a capital. "A situação está controlada", insistiu, isto no mesmo dia em que o Governo português foi obrigado a reagir a uma notícia de primeira página do jornal espanhol "El País", que dava conta do novo confinamento em Lisboa que fechava em casa mais de três milhões de lisboetas. É totalmente falsa", sublinhou um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), tutelado por Augusto Santos Silva, que solicitava ao "El País" a "correção devida com a urgência e a publicidade que essa falsidade exige".

A imagem exterior de Portugal tem sido afetada por notícias que contrariam a tese do bom desempenho na luta contra a covid-19, com fronteiras temporariamente barradas a cidadãos portugueses por alguns países que, entretanto, começam a regressar à normalidade.