Varandas recorda lágrimas em 2015/16 e diz: "Vou contar tudo o que vi em 11 anos de futebol"

Varandas recorda lágrimas em 2015/16 e diz: "Vou contar tudo o que vi em 11 anos de futebol"
Bruno Fernandes

Tópicos

Frederico Varandas marcou esta sexta-feira presença no Campo Grande.

Frederico Varandas marcou esta sexta-feira presença no Campo Grande, para mais uma ação de campanha, tendo surgido pela primeira vez ao lado de Miguel Albuquerque, que será o coordenador das modalidades caso vença as eleições.

"Preocupa-me muito mais o futebol do que as modalidades. Preocupa-me muito mais o facto de investirmos quase 70 milhões na equipa principal e ficarmos em terceiro lugar, com o Braga, que tem um terço do nosso orçamento, a roer-nos os calcanhares. Preocupa-me o facto de em cinco anos termos ficado três vezes em terceiro lugar. É preciso ser mais competente: acertar mais, falhar menos", afirmou perante os apoiantes.

"Dizem-me que é preciso travar guerras, que o sistema é complicado... Eu digo isto: o campeonato de 2015/16... Esse campeonato é nosso. Custou-me muito como sócio, mas também como profissional do Sporting. Na última jornada, depois do jogo com o Braga, desci para o balneário a chorar de raiva. Todos viram. Senti que fomos melhores dentro do campo. Mas senti que não bastou ser melhor. E quando estava a chorar e com vontade de partir o balneário, aparece o mister Miguel Quaresma, que me abraça e disse: 'não chore, esqueça isso, doutor'. Não, jamais esquecerei aquelas lágrimas. Guardei-as e são elas que me vão dar força para fazer do Sporting campeão. E vou fazê-lo", contou Frederico Varandas.

"Dizem-me que na guerra é preciso andar na lama, baixar de nível, mas o soldado mais forte é aquele que anda na linha da frente, com dignidade a defender a sua causa. Não anda na lama. Não é preciso andar na lama, mas se for preciso vamos pisar a lama. O que quero dizer com isto? Não temos tido o tratamento que outros tiveram. Eu vi com os meus olhos muita coisa que não vai poder continuar. Vamos lutar pela verdade desportiva a sério e no dia 9 de setembro vou reunir com as instituições que regulam o futebol e vou contar tudo o que vi em 11 anos de futebol", garantiu.