Sanção a Rúben Amorim atrasada por causa da pandemia e… do Sporting

Sanção a Rúben Amorim atrasada por causa da pandemia e… do Sporting
António Barroso

Tópicos

Em causa as declarações proferidas a 17 de outubro de 2020.

A sanção de seis dias de suspensão aplicada a Rúben Amorim, a propósito de declarações proferidas a 17 de outubro de 2020, teve efeitos tardios, tendo em conta que é conhecida praticamente seis meses depois dos acontecimentos. Porém, apurou o JOGO, assim aconteceu em função de uma quantidade de fatores que incluem uma decisão do próprio Sporting, a qual ajudou a protelar a conclusão do processo.

As declarações pelas quais o técnico leonino é agora punido aconteceram e 17 de outubro, após a partida frente ao FC Porto, motivando a abertura de um processo de inquérito pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol, o qual foi remetido para a Comissão de Instrutores (CI) da Liga, procedimento habitual.

Três meses depois, o inquérito resulta em processo disciplinar, que o CD reencaminha de novo para a CI. Na sequência do processo, a CD marca uma audiência disciplinar - curso normal da tramitação - para 1 de março de 2021. Acontece que, em função das contingências regulamentares provocadas pela pandemia, isto é, estavam suspensos todos os prazos processuais, essa audiência só poderia acontecer com a autorização de todas as partes. Mas, apurou O JOGO, o Sporting opôs-se à realização da mesma, alegando o regime da suspensão de prazos.

O que levou, por fim, à marcação para 21 de abril da audiência disciplinar, sem a qual o processo não poderia prosseguir e concluir-se.

(Atualizada às 12h08)