"Querem que saia? É hoje! Tirem-me daqui", diz Bruno de Carvalho aos sócios

"Querem que saia? É hoje! Tirem-me daqui", diz Bruno de Carvalho aos sócios

Bruno de Carvalho elevou o tom de voz à medida que avançou no discurso

"Quero aqui ficar, enquanto achar que sou uma mais-valia para o clube. Querem que saia? É hoje! Tirem-me daqui!", disse Bruno de Carvalho, numa fase mais inflamada do discurso que fez esta tarde na assembleia geral do Sporting.

"É justo que um sócio que faz mal ao clube deixe de ser sócio, para depois voltar a ser sócio e não poder ser punido, porque entretanto prescreveu? Tinham chegado aí ou não? Tinham?", perguntou antes de apontar a nomes da oposição à sua liderança. " "É aqui que se perguntam as coisas, não é na internet. É aqui, não é a dar entrevistas aos jornais, como fez Rui Morgado, como fez Abrantes Mendes, é aqui!".

Elevando ainda mais o tom de voz, Bruno de Carvalho prosseguiu: "O presidente quer a ditadura? A ditadura quer é quem toma o Viagra! Estou farto disto, desta hipocrisia! Mi-li-tânciacia! In-te-ligência!", concluiu, voltando a elevar o tom de voz. "Façam os grupos todos para chamar Cornélia à minha mulher, para me chamar filho da p... Mas, não enxovalhem o Sporting".

"Nem sei onde estarei amanhã, quanto mais daqui a três anos. Como é óbvio, tudo o que decidirmos aqui, só será válido para o próximo mandato. Seja qual for o presidente. E quem for tem de dar a cara", disse, pedindo "res-pon-sa-bi-li-za-ção. É isso que eu quero no Sporting", concluiu.