Ainda o Estoril-FC Porto: Nuno Saraiva fala em "chico-espertice e manhosice"

Ainda o Estoril-FC Porto: Nuno Saraiva fala em "chico-espertice e manhosice"

Diretor de comunicação do Sporting questiona data para a segunda parte do jogo

O agendamento da segunda parte do Estoril-FC Porto, interrompido devido a problemas estruturais na bancada onde estavam os adeptos dos dragões, não caiu bem em Alvalade e Nuno Saraiva afirma que gostava de ver esclarecidos os motivos que levaram a Liga, em conjunto com os clubes, a marcar o jogo para 21 de fevereiro. "O que não sabemos é por que razão é que o jogo não se realizou nas 30 horas seguintes. Por outro lado há a questão que tem a ver com o resultado do jogo. Imaginemos que, ao intervalo, em vez do Estoril estar a ganhar 1-0 estava o FC Porto em vantagem. Será que o jogo se realizava nas 30 horas seguintes? Será que havia chico-espertice e manhosice nessa decisão? Tenho as maiores dúvidas. Ainda há mais um atropelamento dos regulamentos. Não havendo acordo entre os clubes, que formaram coligação negativa para não se realizar o jogo nas 30 horas seguintes, os regulamentos dizem que se teria de realizar nos 15 dias seguintes, a menos que houvesse colisão de calendário com outras competições. O que acontece aqui é que 21 de fevereiro trata-se de cinco semanas. Esta excecionalidade pode acontecer por acordo dos dois clubes se estiverem em causa a segurança dos agentes desportivos ou dos jogadores. Não é esse o caso. Vamos imaginar que havia um problema naquela bancada. Quem conhece o estádio sabe que é autónoma e sem ligações às outras. Bastava isolar aquela bancada e devolver o dinheiro às pessoas que compraram bilhetes e o jogo poderia realizar-se ali."

Nuno Saraiva, em declarações na Sporting TV, critica também posição do FC Porto neste caso e lembra jogos anteriores em outros estádios. "O FC Porto já obrigou clubes a jogarem no Restelo. O FC Porto denunciou tantas vezes o Estorilgate do Benfica e agora está a compactuar com um caso semelhante a esse, que foi tão triste para o futebol português", afirmou.