FC Porto inicia longa maratona: três competições e sete jogos em 20 dias

FC Porto inicia longa maratona: três competições e sete jogos em 20 dias
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Data da segunda jornada da Taça da Liga (5 de outubro) provoca transtorno aos dragões, que jogam dois dias antes, fora de casa, para a Liga Europa. A 6 de outubro há eleições e a 7 concentram-se as seleções

O "ciclo infernal de jogos" a que Sérgio Conceição fez alusão na mais recente intervenção pública, antes da paragem para os compromissos das seleções, está aí à porta. Serão sete jogos em 20 dias para o FC Porto, com encontros para o campeonato, a Liga Europa e a Taça da Liga. O tiro de partida é dado no Algarve, com o Portimonense (domingo), para o campeonato, e a chegada está (provisoriamente) marcada para Lisboa, frente ao Casa Pia (5 de outubro), para a Taça da Liga. Pelo existirão três jogos no Dragão consecutivos, dois dos quais com o mesmo adversário (Santa Clara).

Há datas ainda sem carimbo oficial, mas nenhuma causa maior transtorno aos azuis e brancos que a última, vez que a visita ao recinto do Casa Pia acontece dois dias depois da viagem a Roterdão, para defrontar o Feyenoord. O encontro, relativo à segunda jornada da fase de grupos da Taça da Liga, pode (e deve) ser alterado, com o dia 4 de dezembro a surgir na planificação da temporada como alternativa, até porque a 6 de outubro há eleições legislativas e a 7 concentram-se as diversas seleções.

Sérgio Conceição não se cansa de dizer que prefere ter um calendário carregado, já que significa que o FC Porto está na discussão das competições em que está envolvido, mas o certo é que a equipa quase não terá tempo para recuperar o fôlego nesta sequência de jogos. A média de dias entre um encontro e outro é de três dias, embora, a abrir, os dragões até tenham quatro entre a deslocação a Portimão (I Liga) e a receção ao Young Boys (Liga Europa).

No entanto, o ciclo aconselha uma rotação cuidada do plantel, que está munido de duas opções para cada lugar, contando com Manafá como alternativa a Alex Telles. Diogo Costa, Mbemba, Otávio, Nakajima ou Soares, que ultimamente têm sido suplentes, poderão ser os mais beneficiados e até Saravia, que ficou negativamente marcado pela primeira parte com o Krasnodar (Liga dos Campeões), deverá receber uma chance de provar que pode ser útil.