Foi ao Benfica mas o FC Porto resgatou-o: telefonema à meia-noite e papel guardado

Foi ao Benfica mas o FC Porto resgatou-o: telefonema à meia-noite e papel guardado

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

O JOGO foi saber mais sobre João Mário, jovem promessa do FC Porto.

João Mário está há 11 anos nas escolas do FC Porto, mas chegou a ir treinar às captações do Benfica. O interesse encarnado começou num torneio disputado em Arouca. Pelas águias jogava o médio Tiago Dantas. "Houve um torneio em Arouca com Sanjoanense, Arouca, Boavista e Benfica, que era treinado pela Helena Costa. O João esteve muito bem nesse torneio. Mais tarde, houve outro em Taboeira. O prof. Eduardo, coordenador das escolinhas da Sanjoanense, disse-nos que já andavam uns grandes atrás do João. Mais tarde, soubemos que a Helena Costa tinha gostado dele", recorda Susana.

Pelo meio aparece, então, o FC Porto, à boleia de Vitinha, lateral-direito da mesma geração que hoje está no Lourosa. "O Vitinha andava a ser observado pelo FC Porto. O Bandeirinha, o Fernando Gomes e o João Pinto foram ver a Sanjoanense para darem o aval final. Aí também referenciaram o João", explica Mário Jorge.

Entretanto, o Benfica faz captações em Gondomar, com Rui Águas como chefe de scout. João Mário participa. "Depois disso, o Luís Pinho, na altura chefe de scout da AF Aveiro e que hoje está no FC Porto, disse-nos que o FC Porto queria ver o João. Mas a Sanjoanense só permitia que os jogadores fossem treinar a um clube grande por época. Acontece que, nessa altura, o FC Porto tinha um projeto que era "o Dragão está de olho em ti" e faziam um scout por distrito. Nesse ano, foi no Conde Dias Garcia, estádio da Sanjoanense, e o João foi um dos escolhidos para ser observado", lembra Mário.

A situação não evoluiu, a época acabou e Mário Jorge renovou a inscrição do filho com a Sanjoanense. "Passados uns tempos, o FC Porto ligou-me para levar o João ao Olival e disseram que se entendiam com a Sanjoanense. Os treinos eram de segunda a quinta, mas na quarta-feira o João tinha um passeio da escola", conta o pai. "Na terça, estava a preparar o farnel para ele levar para o passeio e o meu marido recebe um telefonema quase à meia-noite. Era alguém da SAD do FC Porto a dizer que sabiam que o João não ia treinar na quarta, mas que queriam que ele fosse assinar já na quinta-feira. O FC Porto entendeu-se com a Sanjoanense, que devolveu o dinheiro da inscrição ao Mário, e ainda hoje guardo esse papel da inscrição", comenta a mãe, Susana.