Fernando Gomes e a obrigação de vender: "Valor mínimo para respirarmos são 50 M€"

Fernando Gomes e a obrigação de vender: "Valor mínimo para respirarmos são 50 M€"
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Administrador financeiro da SAD do FC Porto repetiu que os dragões são obrigados a transferir jogadores e a ter uma boa performance nas provas da UEFA para ter bons resultados. A segunda parte está alcançada

A gestão do FC Porto continua a depender muito das receitas que advêm da participação na Liga dos Campeões e da transferência de jogadores. Nesse sentido [vendas], Fernando Gomes apontou o valor que se encontra orçamentado para 2021/22.

"O valor que consta do nosso orçamento é na ordem dos 50 M€ de mais-valias mínimo. Depois, estabelecemos um patamar, que seria o ideal, na ordem dos 80 M€. Mas o valor mínimo para respirarmos terá de ser na ordem dos 50 M€", apontou o administrador financeiro portista, revelando que metade da meta está cumprida.

"Sem mais-valias com a venda de jogadores e boa performance europeia, dificilmente o FC Porto tem resultados equilibrados. A sua estrutura de custos e a sua equipa já estão preparadas para poder ir mais longe na Liga dos Campeões. Quando não vai e fica na Liga Europa... Este ano isso não aconteceu, porque uma boa parte da performance já foi conseguida com o acesso. Agora era preciso ter sucesso a seguir, para que os pontos que se realizam e a passagem da fase de grupos representassem mais um acréscimo. Mas a fatia de "dragão" já lá está. Em contrapartida, até este momento o FC Porto não fez vendas. Isto é uma preocupação. Claro que ainda temos a janela de janeiro e depois, se a época terminar regularmente, em meados de maio, até 30 de junho para efetuar vendas e equilibrar aquilo que de alguma maneira se encontra em défice", lembrou.