CD só toma decisão na próxima semana e Sérgio Conceição vai para o banco no Jamor

CD só toma decisão na próxima semana e Sérgio Conceição vai para o banco no Jamor

De acordo com o que O JOGO apurou, timings normais serão cumpridos e só na próxima semana se saberá se o treinador será castigado. Se for, poderá dar-se o caso de cumprir a suspensão nas... férias.

Sérgio Conceição vai poder sentar-se no banco do FC Porto no último jogo da temporada, a final da Taça de Portugal, com o Tondela (domingo, 17h15). De acordo com o que O JOGO apurou, apesar do processo ter sido acelerado pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol, não sairá qualquer sentença antes do fim de semana, o que deixa o treinador livre para orientar a equipa no Jamor.

Aliás, uma decisão antecipada seria até entendida como persecutória, segundo a opinião de especialistas que O JOGO consultou, para quem os timings normais, após a audiência disciplinar como a de hoje, implicam mais um par de dias para a elaboração do acórdão e reunião dos conselheiros.

A audiência dos arguidos neste processo - o treinador do FC Porto, assim como o administrador da SAD, Vítor Baía, e o diretor de Imprensa, Rui Cerqueira - acontecerá apenas esta tarde, sendo fundamental para o acórdão, que terá ainda de ter em conta as imagens captadas do parque de estacionamento, bem como o relatório da Polícia e demais entidades. A defesa dos portistas chegou a estar marcada para terça-feira, mas teve de ser adiada por impedimento do advogado do FC Porto, Nuno Brandão.

Nesse sentido, o acórdão só deverá estar concluído na próxima semana, sendo a decisão passível de recurso para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAD).

Em causa está o episódio no parque de estacionamento do Estádio do Dragão, onde Frederico Varandas, presidente do Sporting, terá sido abordado por Sérgio Conceição Vítor Baía e Rui Cerqueira, na sequência de críticas a Pinto da Costa na sala de Imprensa. De acordo com o regulamento disciplinar, Sérgio Conceição arrisca uma pena mínima de um mês e uma máxima de dois anos. Se for considerado culpado, cumprirá qualquer sanção no imediato, pelo que isso contará, também, durante o período de férias.

Na semana passada, recorde-se, Sérgio Conceição garantiu nada ter a ver com os incidentes. "Não estive presente, pura e simplesmente. Estive 10 segundos com o Rui [Cerqueira], por onde passam os autocarros, a 15 metros do meu gabinete. Não pode haver um polícia, um delegado da Liga, não há nenhuma imagem, nenhuma pessoa idónea que pessoa dizer que eu fiz isto ou aquilo ou que alguém fez aquilo que é relatado na acusação. Não tenho a dizer mais nada. A acusação é feita com base no testemunho de cinco pessoas ligadas ao Sporting", atirou.