Proença quer quintuplicar receitas das apostas desportivas

Proença quer quintuplicar receitas das apostas desportivas
António Pires

Tópicos

Líder da Liga Portugal destaca que o valor recebido é baixo e espera que a tutela ajude a aumentar as receitas. Quer ainda celeridade na justiça desportiva e aumentar as assistências com espectáculo seguros

Entre vários temas destacados hoje por Pedro Proença, relativamente às receitas, o presidente da Liga Portugal, destacou que uma das prioridades é garantir que o futebol profissional venha a receber mais dinheiro através das apostas desportivas. O dirigente considera que a atual percentagem das receitas das apostas que é atribuída - às federações e ligas, quando é o caso - deveria "quintuplicar". Para que tal venha a suceder será, contudo, necessário alterar a legislação que regula esta atividade e que define a distribuição das receitas por percentagem.

Melhorar os tempos da justiça desportiva é outra das linhas de combate da Liga que propõe um novo modelo com uma comissão de instrutores profissional, obrigada a agilizar prazos. Contudo, Proença reconhece que esta comissão da Liga é apenas responsável pela fundamentação das acusações, comparando-o ao Ministério Público, referindo que as decisões e a aplicação da justiça competem ao Conselho de Disciplina, não esquecendo que há ainda os órgãos de recurso que podem atrasar a aplicação de sanções.

Nesta época de regresso à normalidade em termos de público, no pós-pandemia, Pedro Proença confia que é possível aumentar as assistências nos estádios. Para isso é fundamental que haja um "espectáculo seguro e atrativo" que traga "as famílias e os verdadeiros adeptos" aos estádios. O dirigente mantém que o combate à violência continua a ser uma prioridade da sua Direção e trabalha diretamente com o Governo com o objetivo melhorar a situação presente, sublinhando que é necessário acabar com um certo sentimento de impunidade por parte dos prevaricadores. Defende, de resto, que indivíduos já condenados por atos de violência e impedidos de frequentar recintos desportivos tenham de se apresentar em dias de jogo do seu clube, de forma a garantir que não vão estar nos mesmos jogos.