"Agora diz que vai marcar ao Benfica para dar o título ao FC Porto"

"Agora diz que vai marcar ao Benfica para dar o título ao FC Porto"

Pedro Gonçalves já tinha marcado ao Benfica e agora juntou o FC Porto à lista das vítimas. O padrasto, Mário Reis, viu 20 minutos no café, mas foi para casa para não se "chatear"

O sétimo golo apontado esta época por Pedro Gonçalves, e que valeu a vitória frente ao FC Porto (2-1), foi o segundo marcado a grandes. Antes, o médio-ofensivo já tinha brilhado com uma grande jogada individual na derrota (3-2) com o Benfica, para a Taça de Portugal, mas este remate certeiro foi diferente, pelo menos para muitos habitantes de Vidago, freguesia de Chaves de onde é natural.

A começar por Mário Reis, padrasto de "Pote" (o pai faleceu quando a mãe estava grávida), benfiquista que teve uma dupla alegria com o golo do jogador que é "como um filho", embora o gosto pelos encarnados passe para segundo plano quando Pedro está a jogar. "Prefiro ver um jogo dele do que ver o Benfica e faço-o em casa, porque acabo por me chatear se for para o café ver os jogos do Famalicão", conta. Aliás, anteontem aconteceu isso mesmo. "Vi os primeiros 20 minutos no café mas estavam lá dois indivíduos a dizer que o Pedro não aparecia no jogo e fui para casa. Quando os voltar a encontrar quero ver o que eles dizem", atira.

Mário Reis tinha falado com Pedro pouco antes de atender o telefone a O JOGO e o ex-Wolverhampton estava, naturalmente, radiante. "Até começámos com brincadeiras. O Pedro dizia nas camadas jovens que não conseguia marcar ao FC Porto, mas agora diz que pode ter dado o título ao Benfica, mas também disse que vai marcar ao Benfica para dar o título ao FC Porto", ri.

O pai biológico de Pedro era bombeiro e o adotivo também o é. Por isso mesmo, "Pote" tem muitos amigos na corporação de Vidago. "Vimos o jogo. O Pedro é um miúdo cinco estrelas", elogia David Pereira, bombeiro que esteve de serviço durante a partida. Nenhuma emergência surgiu e tanto David, sportinguista, como Agostinho Gomes, benfiquista, vibraram com o "Fama". "Cheguei a ir levá-lo quando jogava no Braga. Tem o futuro garantido", garante Agostinho.

Francisco Oliveira, presidente da corporação, também torce pelo vermelho. Mais do que isso, regozija-se por ver o "primeiro vidaguense" a representar a vila no futebol ao mais alto nível. "Temos muito orgulho nele", conclui.