Tabata interessa ao Braga, mas não a qualquer preço. Sporting também atento

Tabata interessa ao Braga, mas não a qualquer preço. Sporting também atento
Tomaz Andrade | Hélio Nascimento

Tópicos

Divergências antigas entre António Salvador e Theodoro Fonseca fazem com que as negociações decorram com Rodiney Sampaio, presidente da SAD dos algarvios, e também Deco

O Braga está interessado no brasileiro Bruno Tabata, extremo de 23 anos que tem dado nas vistas no Portimonense. O jogador está bem referenciado no Minho e há conversas a decorrer, embora, até ao momento, sem qualquer acordo, porque há uma boa diferença entre os valores que o Portimonense pede e os que o Braga está disposto a pagar.

As conversações têm decorrido entre Deco, agente de Tabata, António Salvador e Rodiney Sampaio, presidente da SAD do Portimonense, de maneira a fintar o contacto direto entre o líder arsenalista e Theodoro Fonseca, acionista maioritário e homem forte dos algarvios em questões de mercado, devido a divergências antigas e públicas - em julho de 2019 houve uma acesa discussão entre os dois dirigentes no parque de estacionamento do Portimão Estádio devido a desentendimentos sobre a transferência de Dyego Sousa para a China (era representado por Theodoro Fonseca) e pela contratação de Tormena por parte dos minhotos.

O Portimonense está a pedir seis milhões de euros por metade do passe de Tabata, um valor que o Braga não está disposto a pagar, ainda que mantenha vivo o interesse no extremo. Além dos bracarenses, sabe O JOGO, também o Sporting está atento ao jogador do Portimonense, da mesma forma que existem abordagens por parte de clubes do Catar, de Espanha e de França. É neste jogo negocial que se encontra Tabata, a quem o Portimonense terá prometido a saída nesta janela de transferências depois de o brasileiro ter visto rejeitada uma proposta da Rússia em janeiro.

Apesar de Carlos Carvalhal ter vários jogadores para as alas (Ricardo Horta, Iuri Medeiros, Gaitán e Galeno são as opções de raiz, mas há também André Horta e Fransérgio como soluções), a sociedade arsenalista abre a porta à entrada de mais um jogador para o ataque se entender que se trata de uma boa oportunidade de negócio. Mas para isso acontecer, na ótica dos minhotos, vai ser preciso que o Portimonense aceite bem menos do que seis milhões de euros.