Braga clarifica gastos com o estádio: "Superam os 750 mil euros por ano"

Braga clarifica gastos com o estádio: "Superam os 750 mil euros por ano"

Na sequência das declarações de Miguel Sousa Tavares, o Braga enumerou as parcelas dos custos com o estádio.

Foi à boleia das declarações de Miguel Sousa Tavares na TVI que o Braga aproveitou para clarificar os custos que tem com o estádio, um dia depois de Ricardo Rio ter anunciado que será levado a cabo um referendo no município para validar a venda do recinto.

"Quando diz que 'o Braga joga praticamente de borla, por um preço simbólico, num estádio que é todo sustentado pela Câmara', MST repisa uma das chalaças do meio jornalístico, assassinando o código deontológico: 'para quê estragar uma boa história contando a verdade?'. E a verdade é que o SC Braga tem custos com o estádio e com a operação do estádio que superam os 750 mil euros por ano", assinala o clube arsenalista, em comunicado, enumerando os diferentes gastos que comporta:

"Incluem eletricidade, água, gás, tratamento dos relvados, segurança diária e muitas outras pequenas rubricas que representam uma fatia considerável do orçamento da SAD, sem contabilizar os gastos muito relevantes com a organização dos jogos. A estas despesas correntes têm-se juntado, ao longo dos anos, custos de intervenção avultados em operações de melhoria do estádio, como a ocorrida em 2016 e que significou um investimento de 2,5 milhões de euros", refere o Braga, que sublinha tratarem-se de despesas que a SAD "não reclama".

"Sendo despesas que resultam da utilização do recinto, são custos que o SC Braga não reclama, mas que entende, de uma vez por todas, que devem ser do conhecimento público, desmistificando a ideia de uma relação privilegiada que desonera a SAD de gastos no usufruto do Estádio Municipal, que em momento algum continuaria a receber grandes jogos (Seleção Nacional incluída) e grandes competições (como a final four da Taça da Liga) se não fosse a utilização diária que o SC Braga faz do recinto, o cuidado que lhe dispensa decorrendo dessa utilização e as intervenções que tem feito ao longo dos anos para o conservar e melhorar", acrescenta o emblema minhoto.

Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, disse a O JOGO que o contrato de arrendamento celebrado com o Braga, válido até 2034, contempla uma renda mensal de 500 euros.