Jonas detido no aeroporto de Lisboa

Jonas detido no aeroporto de Lisboa

Antigo avançado do Benfica detido no aeroporto de Lisboa

Jonas, antigo avançado do Benfica, foi detido esta segunda-feira no aeroporto de Lisboa, tendo sido, logo de manhã, intercetado à chegada do Brasil, depois de um alerta no controlo de passaportes relacionado com questões tributárias.

O ex-futebolista brasileiro entregou o passaporte para controlo pelos funcionários do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) do aeroporto foi ativado um alerta emitido pela Autoridade Tributária (AT).

Face ao sucedido foram chamados ao local dois inspectores da AT que recolheram dados relativos ao jogador, como a morada fiscal e contactos telefónicos necessários para o processo pendente que o jogador tem nas Finanças.

O antigo jogador do Benfica, hoje em dia com 38 anos, é um dos arguidos da operação Fora de Jogo no âmbito do qual está sujeito à medida de coação de termo de identidade e residência.

Jonas, recorde-se, representou o Benfica durante cinco temporadas e apontou 137 golos em 183 jogos.

A Operação Fora de Jogo deu lugar, entre março de 2015 e o final de 2020, à instauração de seis inquéritos e à constituição de "um total de 129 arguidos, de entre jogadores de futebol, agentes ou intermediários, advogados, dirigentes desportivos, sociedades desportivas e outras pessoas singulares e coletivas", referiu em julho de 2021 a Autoridade Tributária.

Mais tarde, em novembro de 2021, a segunda fase da mesma operação resultou na constituição de "cinco arguidos, três pessoas singulares e duas coletivas", na sequência das "cerca de duas dezenas de buscas domiciliárias e não domiciliárias". Em causa estarão suspeitas de negócios simulados entre clubes de futebol e terceiros, com valores a rondar os 15 milhões de euros.

Entre os arguidos da operação Fora de Jogo contam-se "jogadores de futebol, agentes ou intermediários, advogados e dirigentes desportivos", especificou, então, a Procuradoria-Geral da República (PGR), sublinhando que "em causa estão suspeitas da prática de factos suscetíveis de integrarem crimes de fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais".

Na altura, tanto a SAD de Benfica, FC Porto, Sporting, Braga e Vitória de Guimarães confirmaram a realização de buscas.