Exclusivo O adepto e o futebol mereciam mais

O adepto e o futebol mereciam mais

Depois de uma semana inteira a discutir o caso do menino que teve de despir a camisola no Famalicão-Benfica, ninguém teve grande vontade de o abordar no sítio certo.

Os clubes profissionais de futebol tiveram ontem uma boa oportunidade para conversar sobre o episódio do menino que teve de despir a camisola para assistir ao Famalicão-Benfica, mas pelos vistos para alguns é mais importante alimentar polémicas histéricas e estéreis nas redes sociais, dando a cara ou por interposta pessoa, do que discutir os temas no sítio certo.

Ninguém com dois dedos de testa pode ficar confortável com a situação vivida por aquele adepto do Benfica, mesmo que esteja enquadrada com o que está escrito nos regulamentos. A semana foi marcada por discussões inflamadas, houve campanhas e camisolas despidas, comentadores a rasgar as vestes, um presidente de câmara acusado de envergonhar a cidade, insurgiram-se o secretário de Estado do Desporto e o presidente da Liga Portugal, para, quando os diretores de segurança se reuniram, pouco se falar sobre o assunto. E o Benfica permaneceu em silêncio.