Disciplina em linha com a UEFA

"Todos os clubes das competições profissionais, sem exceção, querem competições mais sãs

E se a época toda pudesse ser a festa que se viveu anteontem em Sochi? A união que o futebol vive à volta da nossa Seleção é a união que se pretende à volta das nossas competições.

Esta semana, em assembleia geral, os clubes deram o sinal do que querem para a próxima época: regras firmes para prevenir comportamentos antidesportivos, punições severas para a corrupção desportiva, afastamento das competições para os que fazem do estádio uma cena de crime, afastamento dos que incitam à violência ou tenham comportamentos violentos.
O sinal evidente que todos os clubes das competições profissionais, sem exceção, querem competições mais sãs e comportamentos mais dignos de todos os agentes desportivos.

As molduras sancionatórias fixadas pelos clubes começam a assemelhar-se às praticadas nas competições da UEFA. Temos repetidamente ouvido que os adeptos e os dirigentes têm um comportamento diferente conforme o jogo é nacional ou das competições europeias. Pois bem, a moldura sancionatória já não será argumento. Por exemplo se dois ou mais intervenientes no jogo rodearem o árbitro para que este marque ou não marque uma qualquer falta, a multa a aplicar será entre os 3500 € e os 11000 €; se um comportamento desajustado de um dirigente incitar os adeptos à violência, a multa será entre os 5500 € e os 26000 €. O mesmo se pode dizer em relação às habilitações dos treinadores. O clube que não tenha ao seu serviço um treinador qualificado ou o treinador que se assume como principal não possua as habilitações regulamentares terão, na primeira violação, uma multa entre os 1900 € e os 9400 €, ou dobro havendo reincidência.

E se nestas infrações estamos a falar de multas mais pesadas, nas infrações que têm a ver com corrupção ou aliciamento de jogadores, os clubes decidiram que mereciam perda de pontos, desclassificações e até descidas de divisão. A partir de agora, um clube que aborde jogadores ou treinadores para dar ou prometer vantagem para a obtenção de resultados desportivamente falseados terá como consequência a descida de divisão. A mera tentativa terá como punição a perda entre cinco e oito pontos.

Os dados estão lançados, do ponto de vista disciplinar, para a próxima época. Por agora, todos em união, vamos acompanhar Portugal nesta caminhada de festa que se espera vitoriosa rumo ao sonho de sermos campeões do mundo.