Intenções e expectativas

DE SALTO NA BOLA - Opinião de Sónia Carneiro

"Depois que o Senhor Jesus ressuscitou, Ele apareceu às pessoas que julgou necessário, falou com elas e fez exigências, deixando para trás as Suas intenções e expectativas em relação às pessoas."

Em domingo de Páscoa recordo as declarações do Presidente António Salvador no final do jogo da Liga Europa que foram a cabal demonstração da perda de crença e das expectativas em relação às arbitragens.

Por cá ou pela Europa, há erros que não são compatíveis com a altíssima qualidade dos nossos praticantes e com as legítimas aspirações de quem representa um clube, uma cidade, um país.

E se na Europa, SL Benfica e SC Braga, fizeram honrosas despedidas, já no que tange aos campeonatos internos estamos na reta final da época 2021/22 e muito ainda está em jogo.

As equipas ainda muito têm a ganhar, ou a perder, os índices de motivação e dedicação estão muito elevados e, não tenho dúvidas, que todos vão lutar até ao último dia pelos seus objetivos maiores.

A exigência que adeptos e direções colocam nos seus atletas tem obrigatoriamente de ser extensível aos árbitros e VAR.
O futebol indústria não se compadece com amadorismos, incompetências ou distrações, e não me digam que é igual um jogador falhar um penálti ou o arbitro não o marcar.

Bem sei que ninguém quer menos errar do que os próprios árbitros, mas nesta fase em que todo esforço de uma época se decide, o acerto do jogador no momento de bater o penálti é tão importante como a decisão correta de quem o assinala.
Está na hora de serem os jogadores os verdadeiros protagonistas das vitórias, ou das derrotas, para que a situação classificativa de cada um seja definida pelo mérito, e não pela intervenção, ou falta dela, de terceiros.

Comemoram-se hoje 40 anos de Presidência do mais titulado e carismático dirigente do futebol português, Jorge Nuno Pinto da Costa. Determinado, perspicaz, inteligente, frontal, um cavalheiro, que tem lutado até à exaustão pelo seu FC Porto.
Goste-se ou não, o Presidente Pinto da Costa será para sempre um exemplo para todos os que querem fazer o caminho do dirigismo desportivo.