Premium Já é tempo de o Zé ir de Mota

RUGIDOS DO LEÃO - José Mota é um bom treinador, mas nunca sairá deste patamar. Sejamos claros: José Mota prejudicou a sua equipa no relvado ao ser expulso e, pior, deu um espetáculo de mau perder e hipocrisia total na sala de Imprensa de Alvalade.

Muitos ainda não se aperceberam, mas o futebol português esta a viver um período de transição. Transição entre um futebol pouco transparente, sem cultura desportiva, repleto de artistas a jogarem nos bastidores e uma nova geração de dirigentes, jogadores e treinadores. Uma nova geração de treinadores de futebol de discurso e futebol positivo, sem muitos dos vícios que fizeram escola no futebol português nas últimas décadas. Treinadores como Luís Castro, Silas, João Henriques, José Gomes ou Miguel Cardoso são alguns bons exemplos. Trata-se de uma mudança geracional inevitável, tal como no dirigismo. Os processos em curso tratarão de assegurar uma limpeza que se impõe há muito tempo.

Estas considerações surgem a propósito de José Mota e seu comportamento em Alvalade no último domingo.