Premium Alianças... não, obrigado

RUGIDOS DO LEÃO - O desporto é uma festa e, sobretudo, é feita de rivais. Muita da história do Sporting foi construída à custa dos seus adversários tradicionais

Sempre fui apologista de boas relações institucionais com todos os clubes, contanto que sejam respeitados integralmente os valores e interesses do Sporting Clube de Portugal. O desporto é uma festa e, sobretudo, é feita de rivais. Muita da história do clube foi construída à custa dos seus adversários tradicionais. Referi e saliento adversários, pois que não são, nem devem ser, inimigos. Este deve ser o paradigma do desporto português, mas creio que dificilmente nos próximos anos existirão condições para que tal se verifique.

Vêm estas considerações iniciais a propósito dos incidentes recentes com o FC Porto. Não conheço os exatos contornos do que se passou - para além das queixas de Miguel Albuquerque e do próprio Carlos Galambas no dia a seguir no jogo de andebol -, mas sei que um dirigente do Sporting e, sobretudo, sua mulher foram brutalmente agredidos no Dragão Caixa. Como sei que um membro do staff da equipa técnica do Porto tentou agredir adeptos do Sporting na final da Taça da Liga. Frederico Varandas tem razão, não é aceitável o que se passou e não são aceitáveis desculpas meio envergonhadas. Faltou-lhe tirar as conclusões que se impunham: se o FC Porto, para além de repudiar o sucedido, não é capaz de formular publicamente um pedido de desculpas ao Sporting Clube de Portugal, então deixam de existir condições para a manutenção de relações institucionais entre os clubes e suas Direções.