O valor do Desporto: inquestionável

O valor do Desporto: inquestionável
Pedro Sequeira

Tópicos

Pedro Sequeira, vice-presidente da Federação de Andebol de Portugal, membro da comissão de métodos da Federação Europeia de Andebol, presidente da Confederação de Treinadores de Portugal e professor coordenador de Ciências do Desporto em Rio Maior, opina em O JOGO sobre a atualidade desportiva

A reunião extraordinária de hoje do Conselho de Ministros deverá trazer mais um conjunto de medidas para se tentar combater a propagação da pandemia. Os números atuais são preocupantes. As próximas semanas/meses serão certamente duras. Temo que mais uma vez o Desporto seja uma das áreas da sociedade que vai ser penalizada com as medidas pois continuam a olhar apenas para umas pequenas parcelas do Desporto, quando o seu todo tem de ser tomado em consideração. Deixo aqui um exemplo de um olhar injusto: nos últimos dias debateu-se a enchente e falta de distanciamento social no Canhão da Nazaré. Pelas fotografias e vídeos que tive acesso isto corresponde à verdade. Mas poucos ou nenhuns valorizaram o comportamento exemplar dos surfistas. E esses, sim, estavam a praticar desporto. Não podem ser penalizados pelo comportamento de quem não teve nada a ver com a prática desportiva em si.

O Desporto abrange, na minha ótica, quatro pilares fundamentais na nossa sociedade:

O Desporto e a sua relação com a Saúde: está provado cientificamente a importância e os contributos da prática desportiva na aquisição de hábitos e estilos de vida saudáveis. Por estes dias o Bastonários da Ordem dos Médicos realçou a importância da atividade física. Mas o Desporto não é "calçar umas sapatilhas e ir correr sem orientação técnica ou pedagógica". O Desporto tem Treinadores que orientam de forma profissional os praticantes para que estes executem os elementos técnicos das diferentes modalidades de forma correta e adaptada às suas capacidades individuais. A prática desportiva ao nível dos escalões de formação é absolutamente essencial. Mas para isso os jovens têm de poder praticar a modalidade que gostam. A restrição em muitas das modalidades tem levado à desmotivação e abandono de inúmeros jovens. Isso vai ter consequências a curto e médio prazo a nível da saúde, nas suas diferentes vertentes. E não esquecer que a prática regular de Desporto cria defesas no organismo que o torna mais eficaz contra as doenças, algo fundamental nos dias de hoje no combate ao covid-19.

O Desporto e a Educação/Sociedade: a cooperação, a assiduidade, o empenho, a superação, a pontualidade, o cumprimento de regras, lidar com vitórias e derrotas, são alguns dos ensinamentos que o Desporto incute nos praticantes e que vão ser fundamentais para o resto da vida pois em todas as áreas da sociedade onde o praticante vai estar inserido - estudos, emprego, família, amigos - estes valores são imprescindíveis para que se tornem melhores cidadãos.

O Desporto e a Economia: equipamentos desportivos, materiais, alimentação, transportes, combustível, serviços são alguns dos múltiplos sectores económicos do Pais que alimentam e são alimentadas pelo Desporto. Reside aqui, provavelmente, uma das maiores lacunas na análise do impacto do Desporto na nossa sociedade. O Desporto não é um sector isolado na sociedade. Imaginem uma piscina. A água, a manutenção da água, os materiais envolvidos, os balneários, os recursos humanos necessários para a manutenção de uma piscina, os materiais de apoio à natação, os Treinadores e por aí fora. Várias áreas interligadas numa infraestrutura de uma modalidade. Agora é replicar isso por todas as modalidades e fica claro o impacto do Desporto na economia de um País.

Desporto e a sua Organização: o Desporto é das atividades mais organizadas na nossa sociedade. Muito antes do famigerado Covid-19 o Desporto já estava habituado a lidar com inúmeros obstáculos - dificuldades de financiamento, dirigentes e treinadores em regime de voluntariado, instalações desportivas, enquadramento social, entre outras - e soube sempre superá-los. Nos dias de hoje os cerca de 11 mil clubes, maioritariamente com estruturas amadoras e voluntárias, foram confrontados com um conjunto de medidas relacionadas com a pandemia - planos de contingência, materiais de desinfeção, limitações de balneários, horários reduzidos, indisponibilidade de muitas instalações desportivas, entre outras - e souberem adaptar-se. Basta visitar qualquer clube para se perceber que as normas da DGS são cumpridas de forma escrupulosa, que praticantes, treinadores e dirigentes souberem lidar com isso.

Pelas razões apresentadas considero de enorme injustiça que o Desporto venha novamente a ser afetado quando tem tido um comportamento exemplar desde que a pandemia se iniciou. Já demonstrou enorme sentido de responsabilidade e o maior exemplo vem do facto que o Covid-19 tem entrado de fora para dentro do Desporto (basta analisar os dados disponíveis diariamente pela DGS).

De dentro para fora ocorreu de forma muito residual, quase nula. Chegou a altura das medidas abrangerem o "fora" e deixarem o Desporto trilhar o seu caminho importante na nossa sociedade