Formação: Braga no caminho certo

Formação: Braga no caminho certo
Miguel Pedro

Tópicos

Faz sentido sentido reforçar a aposta na formação, pois é nela que está parte da resposta para a atual situação

A ideia parece ganhar unanimidade: no futebol pós-pandémico, a formação será a trave mestra do sucesso, económico e desportivo. E aí, quem sabe, os clubes cumprirão ainda melhor a sua missão de aglutinarem e representarem as comunidades onde se inserem.

O SC Braga sempre fez um excelente trabalho na formação de futebolistas. Lembramos aqui alguns grandes jogadores que saíram da nossa "cantera": Carlos Baptista, Bino, Garcia, Artur, Dito, Fernando Pires, Artur Jorge, Quim, Hugo, Castanheira, Tiago, Eduardo, Xadas, Pedro Neto, Tiago Sá e Trincão. A formação deu recentemente um salto qualitativo assente em duas dimensões: estruturas e talento. Ao nível estrutural, a cidade desportiva e a expansão para Fão são dois sinais claros desse reforço. As infraestruturas, quer em qualidade, quer em quantidade, são um elemento importante para se proporcionar as melhores condições de trabalho aos jogadores.

Quanto ao talento, o SC Braga tem, hoje em dia, ao nível de todas as suas equipas de formação, jogadores de grande qualidade. É pois expectável que, no futuro, muito deles cheguem à equipa principal. Este talento ficou evidente, por exemplo, nos excelentes desempenhos das equipas jovens nos respetivos campeonatos nacionais (cancelados entretanto). A equipa sub-19 fez uma 1.ª fase (sem qualquer derrota) e terminou no 1.º lugar com larga vantagem sobre a concorrência. Na fase de apuramento de campeão, mantinha esse registo invicto e apresentava-se como uma fortíssima candidata ao título. Os sub-17 estavam apurados para a última fase da prova, depois de terem terminado as duas fases anteriores em 2.º lugar. A equipa sub-15 estava igualmente qualificada para a fase de apuramento de campeão, depois de ter terminado as 1.ª e 2.ª fases em 1.º e em 2.º, respetivamente. No total, estas equipas disputaram 76 jogos, tendo-se registado apenas quatro derrotas. Em formação, os resultados não são o mais importante, mas "o melhor é formar, ganhando".

Numa outra dimensão de análise, os selecionadores nacionais dos escalões masculinos sub-15 a sub-19 fizeram 33 convocatórias em 2019/20. Em 31 delas foram chamados jogadores do SC Braga. No futebol feminino, em todas as 20 convocatórias das seleções jovens em 2019/20 estiveram jogadoras bracarenses. O que hoje surpreende é uma convocatória não ter atletas do clube. No total, foram chamados 1.226 jogadores e jogadoras, sendo que o SC Braga contabilizou 151 chamadas (12,3%). Hoje, qualquer rapaz ou rapariga, que tenha por objetivo seguir uma carreira de futebolista, sabe que o SC Braga é um clube apetecível, pois proporciona-lhe todas as condições para evoluir. Neste processo, os atletas são incentivados a seguirem com a sua formação académica, que é fundamental por duas razões: poucos vão poder ser futebolistas profissionais e, mesmo esses, só terão sucesso se forem inteligentes e cultos. Os sinais que vamos recebendo indicam que a aposta na formação vai ser reforçada, o que faz sentido, pois é nela que está parte da resposta para a situação que vamos atravessando e para termos um plantel com jogadores de ADN guerreiro.

*Texto escrito em colaboração com João Miguel Fernandes