Exclusivo Aumentar a competitividade da Liga impõe a criação e aumento de novos adeptos locais

Aumentar a competitividade da Liga impõe a criação e aumento de novos adeptos locais

PASSE DE LETRA - Opinião de Miguel Pedro

Celebrou-se ontem mais um "Braga Day". Depois de três anos de interregno pandémico, o evento voltou em força ao coração da cidade de Braga. Anunciado como "a festa da família Guerreira", o "Braga Day" ( que usa este anglicismo na nomenclatura, o que, para mim, não é nada feliz; além disso, afigura-se-me que a forma gramaticalmente correta seria "Braga"s Day), é muito mais do que uma mera festa. Insere-se numa estratégia mais ampla da administração da SAD e da direção do clube de tentar angariar mais e mais adeptos para a coletividade. Adeptos verdadeiros, que sejam só pelo Braga.

A administração da SAD tem-se desdobrado em esforços para tal, mas os resultados não têm sido os que seriam expectáveis. Para além da Academia e consequente aposta na formação como âncora do sucesso desportivo e financeiro, a SAD tem, agora, batalhado por convencer os stakeholders do futebol (clubes, estruturas dirigentes, jornalistas) de que se torna necessário alterar os pressupostos do modelo competitivo, por forma a beneficiar a própria modalidade.