Premium FC Obiang do Porto? Não, muito obrigado

FC Obiang do Porto? Não, muito obrigado
Miguel Carvalho

Tópicos

BOLA DE TRAPOS - O cronista Miguel Carvalho escreve hoje, em O JOGO, sobre o interesse manifestado pelo presidente da Guiné Equatorial no FC Porto.

A história do futebol é também a história da perda da inocência. Se ainda o amamos é por acreditarmos que nele, apesar de perversidades e previsibilidades, dois mais dois nunca são quatro, como sustentava o holandês Leo Bennhakker, antigo treinador do Real Madrid.

As megalomanias e manigâncias desportivas, associadas à opacidade de interesses financeiros, comerciais e geoestratégicos ajudaram à perda dessa inocência. Para se perceber o quanto andámos, basta citar Josep Samitier, mítico jogador do Barcelona do tempo em que regimes autoritários ainda frescos na memória coletiva estavam em incubação ou gatinhavam: "Se o futebol fosse um negócio, pertenceria aos bancos", dizia ele. Lida hoje, a frase parece uma gravura rupestre.