Exclusivo Alvalade ao fundo do túnel

Marcos Cruz

DENTE DE LEÃO - Uma opinião de Marcos Cruz

Quem já vê futebol há muitos anos sabe que o talento é apenas parte do sucesso dum jogador. Preferia não voltar a bater nesta tecla, coitado do rapaz, mas Fábio Paim é, de facto, a expressão máxima dessa evidência, pela magia que tinha. Ainda assim, dominantes são os exemplos de antecipados craques que vingaram no planeta da bola.

O talento indicia e não raras vezes prova. Hoje, então, com a realidade das academias a aproximar-se cada vez mais da dos adultos, em termos de treino, de exigência e de visibilidade, tudo leva a crer que a passagem para o patamar desejado pelos jovens futebolistas não seja já como um parto, um abrir dos olhos à ofuscante luz do espetáculo. Com isso em mente, acompanho as fornadas mais adiantadas da cantera leonina sem grande expectativa. Não me parece que dali venha nada de sebastiânico. E julgo que as performances nos respetivos campeonatos refletem isso mesmo. Já dos sub-17 para baixo a coisa muda de figura.