Premium Supertaça: os falsos extremos

Manuel Queiroz

Tópicos

Para quem vem de perder João Félix é uma grande resposta, claro. Este Benfica está muito acelerado e atropelou o Sporting.

A ideia que havia, de diferença entre o Benfica e o Sporting, confirmou-se no resultado (5-0). Mais até do que no jogo, é verdade, mas a sociedade Pizzi-Rafa, que fabricou três golos, teve o que queria a partir do momento em que se adiantou no marcador a chegar ao intervalo. Dois golos no início da segunda parte fizeram o resto. Mas a goleada é uma chamada de atenção aos homens de Alvalade. Presidente, treinador e jogadores.

Keizer desenhou um onze que em 5-3-2 até funcionou, mas era para contra-ataque, para jogar no erro do adversário e é sempre difícil jogar assim quando o ponta-de-lança é Bas Dost. Luiz Phellype calha melhor nesse jogo. Fisicamente, a equipa caiu muito no segundo tempo - o Benfica continuou a correr e os leões (Mathieu, Thierry, Doumbia, Wendel) não. Não havia gasolina para mais, até porque Coates e Acuña chegaram há pouco. O Sporting começou por ser uma equipa furtiva, mas podia ter marcado primeiro. Foi o Benfica que o fez e o jogo ficou muito encaminhado porque o Sporting tinha de jogar então de outra maneira, tinha de comandar o jogo e não estava preparado para isso.