Premium "Não há equipas imparáveis ou invencíveis, nem sequer esta de Lage"

"Não há equipas imparáveis ou invencíveis, nem sequer esta de Lage"

Um texto de opinião de Manuel Queiroz sobre a jornada 21 da I Liga.

A maior goleada em 55 anos, a goleada do século, um esmagamento - o que queiram, é tudo verdade. E um resultado de 10-0 diz quase tanto de uma equipa como da outra. O Nacional já era a pior defesa, já tinha perdido 4-0 com o Benfica, mas 10-0 impressiona muito. Impressiona porque vem no seguimento de seis golos ao Sporting em dois jogos, um deles em Alvalade. Há um Benfica imparável com Bruno Lage? Por aí, vamos mais devagar. Se a transformação é indesmentível, se a equipa trabalha hoje muito mais do que há 37 dias, quando Bruno Lage pegou nela, se agora os astros se alinharam, como disse o próprio treinador - que tem o mérito de falar sempre em jogar bem, o que se saúda -, o futebol tem muitas verdades, às vezes com a duração de três dias. Já havia capacidade instalada - ganhara 6-2 ao Braga só dez dias antes de cair Rui Vitória -, mas esta é uma fase de vários jogos, enquanto aquele foi um episódio. Agora tudo parece bem, enquanto há um mês tudo estava mal. Mas a realidade é sempre mais a média do que os extremos.

Os benfiquistas têm todas as razões para gozarem este momento, num jogo em que a equipa marcou dez golos... dentro da área (sim, mesmo o livre de Jonas é desviado dentro da área), nenhum excecional, quase todos nascidos de movimentos coletivos. Mas não há equipas imparáveis ou invencíveis, nem sequer esta de Lage que até perdeu com o FC Porto. A luta pelo primeiro lugar está em grande, porque não é o Benfica que tem aproveitado este mau pedaço do FC Porto - o Braga também fez um percurso quase sem faltas nas últimas jornadas, com seis vitórias (e um empate) nos sete jogos da liga desde a "debacle" na Luz e por isso está a dois pontos do líder e a um dos benfiquistas. Uma vitória difícil - mais uma em casa - mas pelas regras atuais 2-1 vale o mesmo que 10-0. Pelo menos na tabela classificativa.