Premium Benfica passeou em Braga graças à "propriedade privada tática" de Tarabat

Benfica passeou em Braga graças à "propriedade privada tática" de Tarabat

PLANETA DO FUTEBOL - Análise de Luís Freitas Lobo aos desempenhos da jornada

1 - Os chamados "jogos sem história" são em geral, indevidamente, apelidados assim porque alguém se apropriou deles muito cedo sem ninguém reparar como e depois tudo seguiu até ao último minuto com toda a gente a saber como ele iria acabar. O Benfica ganhou passeando em Braga num jogo que cedo se tornou "propriedade privada tática" por força dum jogador que "comeu" todo o terreno a partir do centro do jogo no meio-campo: Taarabt.

Quando entrou na segunda parte contra o FC Porto, já dera maior mobilidade-fluidez de saída de bola desde trás mas nesse caso entrara para reagir a um resultado negativo. Ficaram rasgos, mas não ficaram certezas, sobretudo para a posição em que então entrara (o lugar de Samaris). Olhando o debate em torno do jogo do Benfica, imaginava-se que em Braga surgisse na posição 10 ou de segundo avançado entre linhas. É essa, aliás, a sua posição (ou desde a ala) de origem.