Exclusivo Vão sendo horas de tomar um Schmidt

Vão sendo horas de tomar um Schmidt

A Seleção com a Alemanha, o FC Porto com o Liverpool, o Benfica com o Bayern: quantas goleadas, eliminações e Champions serão precisas para se reparar nos alemães?

Esqueçamos o Roger e concentremo-nos no Schmidt. O Benfica quer espreitar a nova escola alemã, depois de esgotado o modelo Jorge Jesus, e isso não devia ter nada de estranho.

Que os alemães estão na vanguarda só não é uma evidência porque o debate do futebol em Portugal está embrulhado em ideologias, equívocos e numa espécie de campeonato paralelo de opiniões (em que eu próprio me deixei enredar).