Exclusivo Uma semana agreste para Conceição

Uma semana agreste para Conceição

Tudo depende da perspetiva. No Porto foi criticado por um chefe de claque; em Lisboa foi posto em causa pela segunda figura da nação portista. E ainda há um alemão a revolucionar a revolução dele.

Os tempos estão a ser duros para Sérgio Conceição. Começou por descobrir, pela televisão, que o novo treinador do Benfica vai revolucionar o futebol em Portugal e depois foi fustigado em público por ter "deixado" o filho adulto debandar para os Países Baixos, e logo pela iminência parda que Lisboa insiste em tratar como a segunda da nação portista, imediatamente abaixo de Pinto da Costa.

Fernando Madureira é um chefe de claque. Fora da claque, tudo o que ele diz e faz tende a ser repelido pelo portista comum, e no entanto ganhou um estatuto tão desmesurado na mitologia lisboeta que o acham, ou dizem que acham, capaz de fazer sombra a essa personagem secundária do FC Porto chamada Sérgio Conceição. É um chefe de claque, apenas com um bocadinho mais de direito à liberdade de expressão do que os outros chefes de claque por ter o Correio da Manhã como assessor de Imprensa.