Exclusivo O legado dos animais competitivos

Quem vai a julgamento hoje é a nova geração vinda das elites europeias em proporções nunca vistas. O Portugal-Turquia vai dizer-nos se são bons ou bons de mais

Em 2016, reinavam Cristiano Ronaldo e Pepe. Mais nenhum jogador daquela seleção pertencia à fina flor da aristocracia europeia. Era uma equipa de plebeus comandada, como diz Sérgio Conceição, por dois animais competitivos.

Em seis anos, os plebeus entraram em extinção. Há onze jogadores mais cotados no mercado do que Ronaldo: uma equipa inteira. Sete desfilam nos clubes mais ricos do mundo e os restantes nas maiores ligas. Sobrevivem cinco do campeonato português.