Exclusivo O FC Porto e o mercado do acaso

Assim que o PSG efetivar o ataque a Vitinha, serão três as vendas de último recurso seguidas no FC Porto. Não são exatamente os milagres por que Mendes é conhecido e põem muito em causa.

Vender para viver é diferente de viver à mercê do mercado. Talvez compreensíveis à luz dos pecados financeiros do passado que o FC Porto está a pagar, as saídas consecutivas de Luis Díaz, Fábio Vieira e (à espera que o PSG avance) de Vitinha não deixam ser um fenómeno inédito no FC Porto desde o desmantelamento da equipa campeã europeia, em 2004.

Pelas informações que tenho, nenhuma das três estava prevista, a não ser como medidas de emergência para salvar as contas.