Exclusivo Jesus e os requisitos de um selecionador

Jesus e os requisitos de um selecionador

Para além de raramente aparecerem reputados mestres da tática a triunfar nas seleções, será que um homem do treino é a melhor escolha para equipas que treinam 15 dias de dois em dois anos?

Jorge Jesus disse ontem no Fórum de Treinadores que não quer a Seleção... ainda, mas será que a Seleção deveria querê-lo? Como há o risco de termos este debate a sério numa questão de dias, talvez valha a pena refletir nos requisitos de um bom selecionador, a começar por algo que a história nos ensina: as seleções não são para Prémios Nobel da tática.

São residuais os treinadores marcantes, a esse nível, que ganharam alguma coisa enquanto selecionadores. O comum é que os selecionadores campeões tenham pouca ou nenhuma expressão no futebol de clubes e fiquem longe de ser revolucionários no campo. Interessam pouco os rendilhados táticos a quem só tem quinze dias seguidos para os treinar de dois em dois anos.