Premium FC Porto em Roma para puxar pela sorte

FC Porto em Roma para puxar pela sorte

FC Porto de Conceição precisa de um bom momento, sem necessariamente estar a jogar mal

O FC Porto não jogou mal em Guimarães nem em Moreira de Cónegos - como defende Conceição -, mas perdeu quatro pontos na mesma e puxou pela ressurreição do Benfica. Não jogando mal, não foi ótimo, nem taxativo. Como tinha acontecido ao Benfica na Luz, também o FC Porto apanhou um Moreirense muito bom, ao nível do melhor que se pode esperar de uma equipa abaixo das quatro maiores na I Liga. Justifica alguma coisa. O resto não precisa de nenhuma explicação dramática, por enquanto, embora Conceição esteja a precisar de uma maré de sorte, que lhe relance a equipa e um modo de jogar extra-Marega. As épocas são uma média estatística das fases boas, más, felizes, infelizes, esgotadas, enérgicas e dos acasos de calendário. A Roma, na terça-feira, pode ser uma boa oportunidade para mudar de etapa, tanto quanto a Liga dos Campeões pode oferecer boas oportunidades.

Geralmente, o ponto em comum nos treinadores que querem jogar "positivo" é a insistência na "saída com a bola controlada" (versus o chutão de resultado aleatório), muitas vezes por entre a pressão feroz de equipas rijas como o FC Porto. Nada a opor, desde que funcione, e isso acontece com o quinto classificado Moreirense, que até lhe junta a arte (nada contraditória) de bem defender. Em Moreira de Cónegos tivemos um vislumbre do que podia ser a I Liga, sem poesia bacoca, nem ferrolho cego, nem sequer antijogo.