Premium Agora na posição de missionário

Agora na posição de missionário

Os plantéis "pornográficos" de há oito anos já são inimagináveis e, se calhar, os resultados também. Bem-vindos ao futebol evangélico

Ligas secundárias da Europa e clubes secundários das maiores ligas: foram estes os (baixos) parâmetros dos clubes portugueses na primeira metade da época internacional, apesar de terem recuperado o sexto lugar no ranking da UEFA, literalmente o primeiro dos últimos.

André Villas-Boas chamava anteontem pornográfico ao plantel do FC Porto vencedor da Liga Europa em 2010/11, e o adjetivo percebe-se melhor quando se analisam os atuais. Figurões como Falcao, Hulk, James, Otamendi ou João Moutinho, em simultâneo, são irrepetíveis. Só não sugiro que agradeçam ao génio de Bruno de Carvalho, porque o ex-presidente do Sporting se limitou a cavalgar uma guerra contra os "fundos financeiros" que já estava a ser movida, cinicamente, por França e Inglaterra, mas é verdade que aquela demagogia pateta coibiu a liga portuguesa de lutar contra uma medida que arruinou a única vantagem competitiva dos clubes nacionais, em particular sobre os clubes médios de Inglaterra, que não podiam contratar jogadores com passes partilhados.