Premium A Santa Trindade salva o basquetebol

A Santa Trindade salva o basquetebol

O campeonato arranca com a notícia do regresso do Sporting. Uma notícia boa, mas também um bocadinho má.

O campeonato nacional de basquetebol arranca este sábado com o regresso do Sporting à amável companhia de FC Porto e Benfica. A Federação exulta, o público e os jornalistas também. Mas é uma rendição. Significa que está tudo contado no desporto português há pelo menos quarenta anos, desde a chegada de Pinto da Costa. Nada de novo vingou, a não ser com a santíssima trindade envolvida, e é só para a santíssima trindade que se olha quando se quer reavivar uma modalidade qualquer.

A única forma de fazer crescer o basquetebol é trazer o Sporting; a maneira de espevitar o ciclismo foi recuperar Sporting e FC Porto, e o voleibol saliva com a ideia de convencer os portistas a voltarem. Ninguém tem um grama de esperança de que apareça qualquer coisa nova capaz de gerar paixões, porque não restam adeptos para convencer. Há muitas décadas que eles já nascem convencidos, irrecuperáveis e imunes a qualquer novo entusiasmo. E nem sei bem porquê.