Este entusiasmo faz-me pensar numa grande época do Vitória

Este entusiasmo faz-me pensar numa grande época do Vitória
José João Torrinha

Tópicos

PONTAPÉ PARA A CLÍNICA - Não creio que as notícias que se foram ouvindo sobre uma hipotética saída do mister Luís Castro venham perturbar esta grande onda vitoriana.

1 - Passados todos estes anos, já ninguém saberá assegurar se foi mesmo João Pinto (o do Porto) que disse que "prognósticos só no fim do jogo". Tenha sido ele ou não, e tenha a tirada sido arremessada com inocência ou então com fina ironia, pouco interessa. Para a posteridade fica a frase que tem tanto de "nonsense" como de certeira. Mas haverá lá coisa mais apetecível, arriscada e ao mesmo tempo inútil e inofensiva do que fazer prognósticos em futebol? "Para o ano, o clube X vai ser campeão." "O craque Y vai ser o melhor marcador." "Este miúdo vai longe..." Todos nós já o fizemos.

Às vezes com base em indícios que interpretamos, outras pura e simplesmente porque temos uma intuição que achamos não vai falhar. Outras porque sim e mais nada. Pois também eu me vou armar em Zandinga. Eu acho que o Vitória vai fazer uma grande época, acabando este campeonato em lugar que dá acesso claro a uma competição europeia. E sabem por que razão afirmo isto? Por causa da onda. Como assim? Pergunta o leitor. Guimarães nem tem mar... Pois não. Mas quando se começa a sentir uma corrente entre equipa e adeptos que vai engrossando, em Guimarães forma-se uma onda que ninguém para.

Quem viu as imagens de Chaves, ou quem esteve lá, sabe do que estou a falar. Os adeptos acreditam, os jogadores acreditam. Não se trata de elogiar pela enésima vez a nossa capacidade de mobilização. Falo antes do entusiasmo crescente que se sente fora e em casa e como isso se transfere para o relvado e daí de volta para as bancadas. Esta onda não vai parar e acredito mesmo que vai mesmo crescer. Por isso, mais logo, todos ao estádio!

2 - Não creio que as notícias que se foram ouvindo sobre uma hipotética saída do mister para o Reading venham perturbar a tal onda. Porque os adeptos não acreditam, nem querem acreditar que alguém fosse trocar um projeto como o nosso por um outro de um clube que está em penúltimo da segunda divisão inglesa.

Sobretudo numa altura em que finalmente as exibições começavam a corresponder, seria irónico que, tendo os vitorianos desesperado por elas, os mesmos fossem agora surpreendidos por uma saída quando as ditas apareceram. Porque na vida acredito que o dinheiro não é tudo, prognostico igualmente que estamos a falar de "fake news", seguramente.

3 - Pena é que a onda não vá chegar ao Bessa, ao importante jogo da Taça, com a força que devia chegar. Os adeptos das duas equipas, mas sobretudo os nossos que se têm de se deslocar de Guimarães ao Porto, mereciam poder assistir "in loco" ao jogo. Com a sua realização às 18 horas de um dia de semana, muitos não vão poder ir. É pena e é mais um caso em que o futebol se automutila. Até quando?

NOTA: Este artigo foi escrito antes da partida entre o Vitória de Guimarães e o Rio Ave.