Premium "A contratação de Mourinho pelo Benfica seria uma inversão estratégica na nossa liga"

"A contratação de Mourinho pelo Benfica seria uma inversão estratégica na nossa liga"

SENADO - José Eduardo Simões, cronista de O JOGO, escreve hoje sobre a questão do comando técnico do Benfica, associando-a aos níveis de grandeza da liga portuguesa

O namoro descarado do Benfica pelo regresso de Mourinho ao comando das águias esbarra na falta de vontade deste de treinar na liga portuguesa. Parece um noivado não correspondido. Recorde-se que a primeira experiência de Mourinho como treinador principal ocorreu há quase 20 anos nesse mesmo clube, consumando-se a saída com a eleição de Vilarinho e a sua escolha de Toni. Quem ganhou foram o União de Leiria e, sobretudo, o Porto, que conquistou a Liga Europa e a Liga dos Campeões em anos consecutivos. Mas isso é passado!

Hoje, os melhores e mais consagrados treinadores portugueses estão lá fora, com excepção de Sérgio Conceição (até quando?). Os melhores jogadores estão igualmente no estrangeiro. Bons directores desportivos, formadores de treinadores, técnicos de prospecção? Por todo o lado. Em Portugal só fica quem está a aparecer e a crescer, quem não consegue sair, quem não possui qualidade suficiente ou vontade de emigrar. A nossa Liga e a Federação não têm estratégia de afirmação internacional, e os nossos clubes não apresentam meios e capacidade para atrair quem possa ajudar a transformar o futebol profissional num player de primeira na Europa. A Juventus foi buscar Cristiano numa operação cara mas que se paga a si própria. Ganham o clube e todos os outros de Itália com o aumento de visibilidade. Mais receitas de TV, muito mais publicidade, marketing mundial. Mais impostos, que o Estado agradece, maior capacidade desportiva. Impacto muito positivo, sem qualquer dúvida!