Premium Um calendário pouco europeu

No espaço de 15 dias o Braga joga com Sporting, Gil Vicente e Benfica para a I Liga. Pelo meio, tem um play-off da Liga Europa para discutir.

1 - Um dia depois de o Vitória de Guimarães ter atropelado o Ventspils, o Braga não precisou de carregar muito no acelerador para ultrapassar o Brondby e garantir um lugar no play-off de acesso à fase de grupos da Liga Europa. De resto, a gestão de esforço dos bracarenses, especialmente percetível durante o segundo tempo do jogo de ontem, faz todo o sentido à luz do calendário que têm pela frente nas próximas semanas. No espaço de 15 dias, a equipa de Sá Pinto vai a Alvalade jogar com o Sporting, discute a duas mãos o play-off da Liga Europa com o Spartak de Moscovo e acaba a receber o Benfica na Pedreira. Ah, e pelo meio ainda tem uma deslocação a Barcelos que, como o FC Porto pode confirmar, está longe de ser um estádio acolhedor para os visitantes. São duas semanas de exigência máxima, que vão decidir uma parte significativa do que será o resto da temporada do Braga no campeonato e na Europa e que obrigam a recuperar a pergunta: não faz sentido que o calendário proteja as equipas portuguesas que participam nas competições europeias?

2 - Rui Pedro Braz resolveu mostrar ontem na TVI24 a capa de O JOGO de quarta-feira para atribuir à escolha da foto, onde surge Marega no final do jogo entre o FC Porto e o Krasnodar, uma intenção retorcida e canalha que só pode ter saído de uma cabeça retorcida e canalha. É, portanto, uma teoria que apenas o define a ele e, se for caso disso, a quem lha soprou ao ouvido. Ainda assim, assinalamos o facto de, por uma vez, ter mostrado a capa de O JOGO. Por cá, já sabíamos que era um leitor atento, não só do nosso, mas de todos os diários desportivos, cujas notícias reproduz, muitas vezes ipsis verbis, "esquecendo-se" de mencionar a fonte. A prova, afinal, de que não há regra sem exceção.