Tudo muda

Jorge Maia

Tópicos

Ao fim de dois anos, Jesus tarda em apresentar resultados e pode ser Bruno de Carvalho a pagar a fatura

1 - Quando, durante a antevisão do jogo de ontem, Jesus disse que "de um momento para o outro tudo muda", provavelmente não estava a pensar que seria para pior. É verdade que a derrota com o Braga não muda absolutamente tudo, apenas porque depois da eliminação das competições europeias às mãos do modestíssimo Légia Varsóvia já havia demasiados sinais de que muita coisa não estava bem em Alvalade. Mas se, como Jesus dizia de véspera, "o terceiro lugar não tira confiança no título", o quarto, ainda por cima partilhado com o Vitória de Guimarães, já dá que pensar. E se é verdade que, há um ano, o Benfica recuperou de sete pontos de atraso, oito é outra conversa, até porque, na última época, por esta altura, já os encarnados tinham começado a crescer, enquanto os leões continuam a minguar. Ora, ao fim de dois anos de Jorge Jesus pagos a peso de ouro, com todos os recursos concentrados na frente interna, começa a faltar espaço para desculpas e manobras de diversão que mantenham os adeptos distraídos. Ontem, Alvalade já começou a cobrar as promessas que lhe fizeram. E pelas movimentações nos bastidores, ou alguém trata de as cumprir ou "de um momento para o outro tudo muda".

2 - É evidente que ainda havia muito de José Peseiro no Braga de ontem, mas também ficou claro que, tal como fez questão de sublinhar no final do jogo, Abel Ferreira conhece muito bem o Sporting e Jesus. A forma como os minhotos anularam os pontos fortes dos leões, cortando as linhas de municiamento a Bas Dost sem nunca perderem a oportunidade de explorar o contra-ataque, mas também o estilo desassombrado do discurso não deixa muita margem para dúvidas: há um treinador com futuro a crescer em Braga.